G20 cita injeção de US$ 5 tri na economia, proteção à vida e ao emprego

26/03/2020 | Valor Econômico

Em reunião virtual, chefes de Estado do grupo das 20 maiores economias se disseram prontos para fazer "o que for preciso" para superar a pandemia de coronavírus




Os lideres das maiores economias mundiais, que formam o G20, dizem estar injetando US$ 5 trilhões na economia global, como parte de medidas fiscais, além de esquemas de garantias para neutralizar os impactos social, econômico e financeiro da pandemia de covid-19.






Em reunião virtual, hoje, os lideres se comprometeram com a política do “whatever it takes”, ou seja, que farão o que for preciso para superar a pandemia.




“Vamos continuar a conduzir apoio fiscal arrojado e em larga escala”, diz o comunicado dos líderes. A magnitude e amplitude das respostas é para colocar a economia global na boa direção e servir como base para proteção de empregos e retomada da atividade.





Os líderes disseram apoiar medidas extraordinárias tomadas pelos bancos centrais, para apoiar o fluxo de credito para famílias e firmas, promover estabilidade financeira e reforçar a liquidez nos mercados globalmente.





Disseram estar determinados a atuar tanto individualmente como coletivamente para: proteger vidas; salvaguardar empregos e renda; restaurar confiança, preservar estabilidade financeira, reviver o crescimento ; minimizar disrupções no comercio e nas cadeias globais de valor; fornecer ajuda a todos os países que precisam de assistência, e coordenar saúde publica e medidas financeiras.





Na área de saúde, os líderes do G20 se comprometeram a expandir capacidade de produção para garantir o abastecimento de equipamentos médicos.




O grupo se comprometeu a buscar “financiamento adequado” para conter a pandemia de covid-19, expandir a capacidade industrial, assegurar remédios a preços acessíveis e com oferta ampla, e a adotar medidas para “restaurar a confiança, preservar a estabilidade e retomar o crescimento”.





“A epidemia sem precedente de covid-19 é um poderoso recado de nossas interconectividades e vulnerabilidades”, afirmou o documento de três páginas, divulgado após a cúpula que contou com a participação do presidente Jair Bolsonaro.




O G20 afirmou estar “fortemente comprometido a apresentar um front unido contra essa ameaça comum”. “Combater a pandemia e seus impactos sanitários, sociais e econômicos é nossa absoluta prioridade”, disse o comunicado.





O grupo se comprometeu a trabalhar para ajudar a assegurar recursos do plano estratégico da OMS de resposta à pandemia. E se comprometeu a aumentar substancialmente os gastos nas medidas de prevenção.





"Estamos injetando US$ 5 trilhões na economia global, como parte de uma política fiscal direcionada e medidas econômicas para conter os impactos sociais, econômicos e financeiros da pandemia", disse o comunicado.






Ainda segundo o comunicado, o grupo pediu aos seus ministros de Finanças e presidentes de BCs para desenvolver um plano de ação para o G20 em resposta à covid-19.








VOLTAR

ENTIDADES GERIDAS

CENTRO DE COPRODUTOS AÇO BRASIL (CCABRASIL)
CENTRO BRASILEIRO DA CONSTRUÇÃO EM AÇO (CBCA)
CB-28 – NORMAS TÉCNICAS